Archive for Março 2012

Blood and Roses

Blood and Roses

Título original: Et mourir de plaisir
Diretor: Roger Vadim
Ano: 1960

Não apenas mais um filme de vampiras lésbicas, Blood and Roses (AKA Et mourir de plaisir).

Em um castelo na Itália os preparativos para o casamento de Leopoldo Von Kamstein e Georgia se iniciam. Em meios às festas eles recebem a visita de Carmilla, prima de Leopoldo. Após as apresentações, Carmilla conta as histórias de seus antepassados presentes em uma tapeçaria e principalmente Millarca Von Karnstein, da qual ela é absurdamente igual.
A história de família Karnstein é ligada a diversos mitos e remonta a 200 anos, quando a família era acusada de ser um clã de vampiros. Os camponeses cansados dos ataques invadiram o cemitério do castelo cravando estacas em todos Von Karnstein, exceto no corpo de Millarca. Millarca morreu na véspera de seu casamento e seu corpo fora removido por seu noivo (e também primo) Ludwig, para não permitir que seu corpo fosse violado. Ludwig, depois de algum tentou três vezes se casar, sempre com suas noivas morrendo na véspera do casamento de forma suspeita.


Mas a semelhança entre Millarca e Carmilla não é apenas física, pois Carmilla também é apaixonada por seu primo Leopoldo. Carmilla decide não participar do casamento e fica em seu quarto. Após beber, Carmilla escuta sua antepassada Millarca a chamando para seu tumulo. Carmilla se veste com o vestido de noiva de Millarca, e o que acontece em seguida se torna dúbio entre uma possessão ou alucinação. Carmilla vaga pelo castelo e arredores, assustando os moradores e ouvindo sussurros que clamam por sangue. Seria a vampira Millarca ou apenas uma desiludida Carmilla?

A cena da alucinação ou sonho de Georgia é única. Carmilla se aproxima da cama de Geórgia afastando sua camisola para dar uma mordida (que, contudo nunca é mostrada). Então a alucinição começa, com Carmilla sangrando debaixo dos colares, sendo seguido por uma sequencia de imagens bizarras, uma garota nadando de cabeça para baixo, uma longa linha com mulheres sentadas (vítimas de Millarca ou apenas encarnações da mesma?) e por fim Carmilla em um leito cirúrgico sendo preparada por diversas enfermeiras para uma cirurgia.




Outra cena fantástica é quando a Georgia da uma rosa a Carmilla e a rosa perde a cor ao toque. Em seguida Georgia e Carmilla se beijam com sangue entre os lábios.


Como em Psicose, um médico oferece uma explicação racional de tudo que aconteceu. Ele diz que Carmilla estava doente a algum tempo e, dada a impossibilidade de seu amor por Leopoldo, se retirou para um mundo de fantasia, vivendo como uma criança em um sonho onde ela poderia se casar com Leopoldo. Ao ouvir a explicação Carmilla foge e se esconde na abadia preste a ser destruída. Depois da explosão Carmilla aparece morta com sangue, terra e arame em seu corpo.


O filme termina com Georgia tocando em uma rosa que perde a cor.

Extras:

Opinião do pato:
Blood and Roses é um clásssico. Apesar de não optar por cenas explicitando a relação de Carmilla e Georgia o restante é fantástico (principalmente a cena do sonho de Georgia).

Quantos patos mortos:

Posted in , , | Leave a comment

Lista #03v, Lesbian Vampires

Lista #03v, Vampiras Lésbicas

Se o blaxploitation era bom, imaginem vampiras lésbicas!

Dracula’s Daughter (1936)
 
Dracula’s Daughter é a sequência direta de Drácula, da Universal. Apesar da presença de um Van Helsing e de um terrível sósia de Drácula, o filme tem seu foco na Condessa húngara Maja Zaleska (Gloria Holden). Na trama a condessa se aproxima de duas vítimas e apesar da sutileza como a relação delas é mostrada é perceptível o que elas realmente querem.

Pontos do pato 1,5/5
A necessidade da condessa por sangue sendo tratada como uma obsessão
Primeiro filme com vampiras lésbicas
O elenco com Otto Kruger e Gloria Holden

 
Daughters of Darkness (1974)
 
Em um hotel em Ostend uma condessa imortal (Delphine Seyrig) e sua bela companhia (Andrea Rau) se encontram com os recen-casados John Karlen e Daniele Ouimet. Cada casal tem problemas emocionais, sejam eles a família dominadora ou a relação com um ente imortal com a constante necessidade de novas companhias.

Pontos do pato 2,5/5
Não usa clichês do universo dos vampiros
Porém usa diversos elementos da tradição clássica (por exemplo, a ojeriza que vampiros tem da água corrente)
A cena de Andrea Rau


The Hunger (1983)

The Hunger mostra uma Nova York moderna e envolta em música. Na trama uma vampira egípcia, Lady Mirian, sobrevivi com o sangue dos seus amantes, os dando em troca a imortalidade durante um período.

Pontos do pato 2,5/5
Visual dos anos 80
David Bowie
A quantidade de cenas ‘artísticas’


Extras
Dracula’s Daughter
Daughters of Darkness
The Hunger

Posted in , , , | Leave a comment

Search

Swedish Greys - a WordPress theme from Nordic Themepark. Converted by LiteThemes.com.